Cerimônias e inaugurações estão entre os principais motivos das viagens presidenciais

Presidente em visita ao Centro Avançado de Atendimento COVID-19 em Chapecó (SC), em 7 de abril de 2021. Foto: Palácio do Planalto

Bolsonaro não parou de viajar durante o avanço do Coronavírus no Brasil. Desde 20 de março de 2020, data em que foi decretado estado de calamidade pública pelo governo federal, o presidente viajou 100 vezes e teve 138 compromissos em 25 estados, registrados na agenda presidencial disponível no site do Planalto. Entretanto, apenas duas tiveram relação com a Covid-19.

A primeira ocorreu em 30 de abril de 2020 em Porto Alegre (RS): uma visita ao Centro de Operação de Combate ao COVID-19 do Comando Militar do Sul. Não houve uso de máscara nem distanciamento social. O outro compromisso relacionado à pandemia aconteceu na cidade de Chapecó (SC), com visita ao Centro Avançado de Atendimento COVID-19, e apresentação das experiências do município no enfrentamento à pandemia, ambos no dia 7 de abril deste ano. Neste último evento, o presidente não respeitou o distanciamento social e tirou a máscara para discursar.

Em 2020, foram 57 viagens. A quantidade por mês saltou de quatro para 11 desde agosto. Neste ano, foram 48 viagens, contadas até 25 de junho, último dia analisado pela reportagem. Os meses deste ano com mais deslocamentos na agenda presidencial foram maio e junho, com 23 viagens, nenhuma relacionada ao combate da Covid-19.

Apesar do distanciamento social e cuidados necessários ao combate do avanço da Covid-19 determinados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), Bolsonaro e os participantes dos encontros negligenciaram o uso da máscara e do distanciamento nas viagens. 

De acordo com os dados públicos da agenda presidencial, recolhidos e analisados pela reportagem, do início da pandemia até 25 de junho de 2021, os principais motivos das viagens são cerimônias, inaugurações e homenagens, somando 66 – aproximadamente 45% do total. Assuntos e atividades militares constituem o segundo motivo, com 23 viagens, seguido de visita a lugares turísticos ou não turísticos, com 20.

A reportagem fez três contatos com a assessoria de imprensa da presidência, mas não houve resposta.

No mesmo período da agenda presidencial analisada, o governador Carlos Massa Ratinho Júnior realizou 152 viagens em 86 dias fora de Curitiba. Na agenda do governador, disponível no site do Paraná Inteligência Artificial (PIA), encontramos 17 visitas a hospitais estaduais e duas a campanhas de vacinação. Governador e presidente se encontraram cinco vezes, nenhuma claramente relacionada ao enfrentamento da pandemia.

Ficha Técnica
Produção: Denise Martins
Professores Responsáveis NRI: Muriel Amaral e Marcelo Bronosky
Professor Responsável Texto: Marcos Zibordi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *